Louvre Museu Paris

É com absoluta paixão que apresento-lhes as postagens sobre o Louvre. Ele é o meu local preferido no mundo… um lugar mágico, que mesmo se estivesse vazio valeria todo esse carinho. Nesse primeiro post vou tentar contar da maneira mais simples e breve possível um pouco da história do Louvre. A intenção é conquistar você… sim, você mesmo… que ainda torce nariz pra museu.

O Palácio do Louvre respira história e não só pelas suas obras de arte.

Museu Louvre

O lugar onde hoje está o Louvre começou sua história sendo apenas uma construção de proteção à Paris. O Rei Felipe Augusto mandou construir ali quatro torres de observação e um cinturão, que recebeu o nome de Muralha de Felipe. Resquícios desta construção podem ser vistos até hoje no piso inferior do museu, e a muralha conseguimos encontrar alguns vestígios na Rue de Rivoli e adjacências.

O Louvre que conhecemos hoje é formado por diferentes Palácios. Entre 1564 a 1572, a rainha Catarina di Medici (nobre da família Medici, sim, aquela que governou Florença por anos e anos, ela tem uma história linda) mandou construir o construir o Palácio das Tuileries. Quase todos os reis que passavam por ali mandavam aumentar  mais e mais o prédio… e por aí foi… Mais tarde (bem mais tarde), os reis Luiz XIII e Luiz XIV mandaram reunir o Palácio que existia com o Palácio de Tuileries e, nesta época vários artistas foram convidados a decorar o local.

Louvre Paris

Louvre visto do Louvre

Toda essa junção teve uma pausa, porque o rei Luís XIV simplesmente resolveu construir o Palácio de Versailles e mudar-se pra lá. Os reis, sucessivamente, moraram em Versailles a partir daí até a Revolução Francesa. Durante esta revolução, o rei Louis XVI, que morava em Versailles, foi conduzido com sua família para o Palácio das Tuilerias e depois feito prisioneiro (junto com Maria Antonieta) na Torre do Templo (Tour du Temple) até ser decapitado em 1793. Desde sua saída de Versailles ele e a família jamais poriam novamente os pés (nem a cabeça) no Louvre.

A exibição de arte no Louvre aconteceu em 1789, com o salão de Paris, mas isso ainda não fez dele museu. O museu do Louvre nasceu de um decreto aprovado por uma Assembléia Constituinte, em 26 de maio de 1791. O Louvre e as Tuillerias seriam agora um palácio destinado à habitação do rei, à reunião dos monumentos das ciências e das artes e aos principais estabelecimentos de instrução pública.

Louvre

Ironicamente, foi a própria Revolução Francesa que fez do Louvre um museu de verdade. Muitas das obras que foram expostas ali  foram confiscadas dos nobres e reis franceses durante a Revolução. De uma maneira simbólica essa atitude toda representaria o ideal do iluminismo (igualdade do saber). O acervo do museu cresceu rápido. O exército francês sequestrou muita coisa de tudo quanto é canto que conquistava e tudo (ou quase tudo) ia parar no Louvre. Calma, que nem tudo ali foi roubo, ok? Muita coisa voltou pro seu lugar de origem depois da derrota de Napoleão, em 1815, na Batalha de Waterloo. Mas muito do que você vê de antiguidades Egípcias por ali veio sim das conquistas de Napoleão Bonaparte.

Arco do Triunfo do Carrossel fora construído em 1809, a pedido de Napoleão para homenagear seu exército e celebrar a vitória em Austerlitz e a capitulação de Ulm em 1807. Inclusive, a escultura com cavalos (Quadriga) encontrada no topo do arco, era da Basílica de São Marcos de Veneza, que Napoleão trouxera para França como tesouro de guerra, e depois foi devolvida pelo governo francês. Hoje vemos ali uma bela réplica.

Museu do Louvre

Lua cheia pós passeio no Louvre! Inesquecível!

Durante a Comuna de Paris (governo revolucionário operário e socialista que comandou Paris de 26 de março a 28 de maio de 1871), o Palácio das Tuleries e a Ala Norte do Louvre foram incendiados e o que restou dessas partes foi demolido.

Aí começaria o que chamamos de Louvre “moderno”. Com o início da II Guerra Mundial, as obras foram transportadas para o Castelo de Chambord (próximo à Paris) e foram mantidas, por segurança, em constante mudança. Só a Mona Lisa fez 7 viagens, sendo a primeira para Chambord, depois foi ao Vale do loire, Lot, Aveyron, Montauban… e todas as obras de maior importância também tiveram destinos diferentes para confundir os Alemães.  Mesmo praticamente vazio, o museu reabriu ao público em 1940 com uma coleção de cópias em gesso de estátuas famosas.

Entre os 1980 e 1990, o Louvre tornou-se esse fenômeno conhecido e reconhecido no mundo todo. Atualmente, ele é um dos museus mais visitados, ricos e diversificados do mundo, com obras que literalmente contam a história da humanidade. O Museu do Louvre está dividido em  sete coleções, dispostas em três seções principais: Sully, Richelieu e Denon.

Louvre Museu Paris

A enorme e polêmica pirâmide de vidro foi concluída em 1989 e serve de entrada principal do Museu do Louvre. O próximo post da série “Louvre” será sobre ela… Até lá!!

Para saber mais, clique aqui (em francês ou inglês apenas).

*** Espero ter convertido alguém que não curte Museu! =/